▸ Acompanhe nas redes

DIRETO AO PONTO
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

01/03/2018 - 19:00

A cor do gato não interessa

Não importa a cor do gato

O importante é que cace os ratos

Por Warnoldo Maia de Freitas
 
A julgar pelos discursos de alguns políticos que se dizem de esquerda, mas não renegam as benesses, os mimos e os luxos do capitalismo, percebe-se que eles precisam reinventar-se urgentemente para poder sobreviver aos novos tempos, porque pronunciamentos pautados pela incoerência já não convencem mais ninguém.
 
Criticar por criticar a intervenção militar na “insegurança” registrada no Rio de Janeiro, a outrora Cidade Maravilhosa, não resolve o grave problema ali registrado há tanto tempo que, pela repetição sistemática, acabou virando fato comum, corriqueiro para políticos e governantes sustentados por ações nada republicanas.
 
É pura falácia, discurso midiático, manifestar-se agora, afirmando que “a intervenção militar tem caráter político e eleitoral, está sendo feita para aumentar a popularidade do Michel Temer, vai matar pobres, pretos e inocentes”, bem como “acabar com o direito de ir e vir do cidadão”, porque já faz tempo que o brasileiro vê ameaçado esse e outros direitos assegurados na Constituição Federal, Cidadã, de 1988.
 
Faz tempo que o brasileiro está carente de saúde, emprego, educação, saneamento básico e SEGURANÇA, e pouco ou quase nada se faz. Portanto, esses problemas são antigos em todos os estados, mas o cidadão clama por medidas novas para acabar de uma vez por todas com esses males que ameaçam a vida de todos, tanto de quem mora nos morros, nas favelas, nas periferias, quanto nos bairros nobres ou condomínios de luxo das cidades brasileiras.
 
Chega de discurso de pseudo intelectuais, de pseudo esquerdistas, que nunca precisaram sair de casa de madrugada para ir trabalhar pelo menos oito horas para assegurar o sustento das suas famílias e correr o risco de ser assaltado ou assassinado no ponto de ônibus, por “inocentes” protegidos pelas leis.
 
A criminalidade no Brasil está em franca expansão estimulada, em parte, pela sensação de impunidade que ainda é registrada em todo o país. Os assassinatos da guerra civil brasileira proliferam e superam em muitas cidades os números contabilizados em diversas áreas de conflito.
 
Então, diante de tanto mi, mi, mi, lembro que o controle, o combate à violência e a criminalidade é, hoje, condição indispensável tanto para a estabilidade da ordem social quanto para a efetiva prosperidade de qualquer sociedade.
 
Aproveito, ainda, para lembrar a célebre frase do líder comunista chinês Deng Xiaoping: "Não importa se o gato é preto ou branco, desde que cace os ratos."  
 

VEJA MAIS

Publicidade
Publicidade
Publicidade

CURTA-NOS