▸ Acompanhe nas redes

DIRETO AO PONTO
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

25/01/2019 - 20:25

Mariana nunca mais.

Vista aérea do desastre em Brumadinho - Reuters - Washington Alves - Direitos Reservados

 Uma promessa que a Vale não cumpriu


Por Warnoldo Maia de Freitas
 
A tragédia registrada na sexta-feira, 25, com o rompimento da barragem da Mina Feijão, em Brumadinho, MG, da Vale, uma das empresas que mais produz minério de ferro no planeta, deixou claro, depois de Mariana, em 2015, que pouco ou quase nada mudou no Brasil, no quesito fiscalização das atividades mineradoras, porque, como dizem, o poder financeiro desses grandes conglomerados compra praticamente tudo.
 
Serviu para mostrar, mais uma vez, que a política do faz-de-conta permanece bem ativa no Brasil, onde as empresas de diversos segmentos apenas simulam cumprir as determinações das legislações vigentes, e as autoridades competentes, integrantes ativas deste tipo de espetáculo dantesco, por sua vez, também representam cumprir os seus papéis.
 
Tais condutas precisam ser varridas de uma vez por todas do Brasil,    porque afrontam o direito à vida das pessoas mais simples, que residem nas proximidades desses grandes complexos mineradores e são relegadas a um segundo ou terceiro plano, no ranking das prioridades das empresas e das autoridades.
 
Não, os brasileiros não querem mais ver o país afundando em mares de lama, que fazem vítimas em diversos sentidos e arrastam sonhos, e cobram do novo governo ações enérgicas para acabar com tais desmandos.
 
As imagens exibidas pelo noticiário da tv assustam e mostram que o governo Bolsonaro vai ter mesmo muito trabalho para limpar o mar de lama que tomou conta do país, bem como corrigir distorções, porque até hoje muitas famílias vítimas em Mariana ainda não receberam indenizações.
 
As riquezas minerais existentes no Brasil devem e precisam ser exploradas de forma ambientalmente corretas, para gerar empregos e renda, distribuir riqueza, e assegurar, sobretudo, a sobrevivência das pessoas e dos ecossistemas das comunidades vizinhas.
 
“Mariana nunca mais” foi uma promessa que a Vale não cumpriu. Portanto, todos precisam fazer a lição de casa para evitar que Brumadinho também não se repita.
 

VEJA MAIS

Publicidade
Publicidade
Publicidade

CURTA-NOS