Quarta-feira | 14/11/2018
▸ Acompanhe nas redes

DIRETO AO PONTO
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

09/09/2018 - 19:30

Quem são os “príncipes” que estão por trás do Adelio?

É hora de trabalhar pela transformação


Chega de ódio 


Por Warnoldo Maia de Freitas
 
Quantos outros Adélios ainda estão por aí, a espera de um incentivo, de uma ordem, para deflagrar uma onda de intolerância política destinada a satisfazer os interesses inconfessáveis de muitos “falsos democratas”, que não aceitam pensamentos diferentes dos seus e acreditam que, “os fins justificam os meios”?.
 
As autoridades deste país precisam apurar todos os fatos e identificar quem é ou quais são os “príncipes” que estão por trás do atentado praticado por Adelio Bispo de Oliveira, na quinta, 6, em Juiz de Fora, contra Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência da República nas eleições de outubro deste ano.
 
O cidadão de bem quer saber quem é que está patrocinando atentados contra a democracia, contra a Nação e contra quem pensa diferente, porque, mesmo divergindo, tais pessoas também merecem o respeito de todos.
 
Já pensou se a intolerância acaba virando moda e atentar contra a vida de qualquer pessoa, só porque ela pensa diferente ou defende posições consideradas extremadas, se torna uma ação “socialmente” aceitável? 
 
O que nós queremos? A barbárie, o caos, a predominância da intolerância, o poder absoluto, o desrespeito total, sistemático e descarado ao ESTADO DE DIREITO?
 
Nada justifica promover, incentivar e defender a realização de um atentado contra a vida de qualquer pessoa, seja ela de que matiz política for. Se discorda dela, vote contra, tente outra vez.
  
O cidadão quer saber a quem interessa, de fato, fomentar o recrudescimento da violência no Brasil, bem como incentivar o agravamento da crise social e econômica para agilizar a transformação do país em uma nova Venezuela.
 
Meias respostas não bastam mais, porque elas não satisfazem e servem, apenas, para jogar todo mundo na vala comum da desconfiança, diante da “incapacidade” das forças do Estado de apurar todos os fatos e chegar a verdade e aos culpados por condutas indecentes.
 
O cidadão de bem quem saber quem são esses falsos “príncipes”, que estão acostumados a mandar e a desmandar, e ainda acreditam que, para manter o poder, precisam desenvolver, colocar em prática, ações consideradas abomináveis.
 
Tomando por base o que escreveu Nicolau Maquiavel, esses falsos príncipes acreditam que podem tudo, porque não existe tribunal a que recorrer contra as suas ações, os seus desejos.
 
 
Para eles, que se consideram acima do bem e do mal, o que importa, mesmo, é atingir os seus objetivos, é vencer e manter o Estado, porque os meios serão sempre julgados honrosos e por todos louvados, porque o VULGO – o povo - sempre se deixa levar pelas aparências. 
 
 
Mas, os tempos são outros e o VULGO, apesar das aparências, já não é mais o mesmo e quer saber quem está envolvido, quem está promovendo e quem está incentivando condutas e ações que tiram o sono, comprometem o futuro dos nossos filhos e netos e colocam o país cada vez mais perto do abismo.
 
Chega de ódio. O VULGO quer paz, amor, emprego e renda para poder cuidar das suas famílias.
 
Com a palavras as autoridades competentes.

VEJA MAIS

Publicidade
Publicidade
Publicidade

CURTA-NOS