▸ Acompanhe nas redes

NOTÍCIAS / politica
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

12.06.2018 - 19:10  |  INVESTIGAÇÃO

Álvaro Campelo pede para Ministério Público investigar sistema de bilhetagem e Passa-Fácil

Assessoria de Imprensa

Álvaro Campelo protocola pedido de investigação no MPE por acreditar em uma investigação isenta

Álvaro destaca que a população quer que se abra a caixa preta do Sinetram, e o Ministério Público é quem tem todas as condições necessárias para proceder tal investigação de forma isenta

O vereador Álvaro Campelo (PP), presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Municipal de Manaus (CMM), protocolou na manhã da terça-feira, 12, no Ministério Público Estadual (MPE) pedido de investigação sobre o sistema de bilhetagem de ônibus e do Passa-Fácil, adotado pelo Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo de Manaus.

 
De acordo com o parlamentar, a população quer saber, por exemplo, “por que as greves continuam sendo realizadas, por que a frota permanece sucateada e os empresários insistem em dizer que não têm lucro”, mas, mesmo assim, não cogitam, sequem, deixar de explorar o sistema de transporte coletivo em Manaus.
 
“A população quer que se abra a caixa preta do Sinetram, e o Ministério Público é quem tem todas as condições necessárias para proceder esta investigação, isenta da discussão eleitoral. Para isso pedimos celeridade, para que as responsabilidades sejam apuradas, e ao fim a população de Manaus saiba a verdade e venha a ter um serviço de transporte público de qualidade”, explicou o parlamentar.
 
Álvaro disse, ainda, que a Comissão de Defesa do Consumidor da CMM permanece mobilizada na apuração de inúmeras denúncias feitas por usuários contra o Passa-Fácil, apontando a subtração de créditos.
 
“Esperamos que o Ministério Público possa proceder essa investigação e trazer as respostas que esperamos. A população não pode continuar sofrendo do jeito que está. Os empresários também têm de prestar esclarecimentos a respeito disso. Explicar por que, se não tem lucro, como continuam no sistema, e se têm lucro, por que não melhoram as condições dos ônibus”, concluiu Álvaro Campelo.
 
 

MAIS NOTÍCIAS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Publicidade
Publicidade
Publicidade

CURTA-NOS