▸ Acompanhe nas redes

NOTÍCIAS / politica
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

08.02.2019 - 17:30  |  CRISE NA SAÚDE

Carlos Almeida vai cobrar das empresas que já receberam e não pagaram funcionários da saúde

Assessoria de Imprensa

Carlos Almeida garante que mais de 70% do acordado já foi pago

 

Segundo o secretário, os pagamentos ainda não realizados dependem da documentação das empresas
  
O vice-governador e secretário de Saúde, defensor Carlos Almeida, reafirmou, na manhã desta sexta-feira (08/02), em reunião com trabalhadores de empresas terceirizadas, que os pagamentos garantidos pelo Governo do Amazonas em janeiro estão em andamento na Secretaria de Estado de Saúde (Susam), e disse que irá cobrar das empresas que já receberam que paguem os salários dos funcionários. 
 
Na reunião, que contou com a participação do Sindicato dos Trabalhadores em Santas Casas, Entidades Filantrópicas Beneficentes e Religiosas e em Estabelecimentos de Serviço de Saúde do Estado do Amazonas (Sindpriv-AM), a principal reclamação foi de que algumas empresas que já receberam não pagaram os salários.
 
Segundo o secretário, mais de 70% do pagamento acordado já foi creditado. Além disso, na quinta-feira (07/02), o governador Wilson Lima autorizou a liberação do valor que faltava para completar a competência de 2018 acordada e os pagamentos também estão sendo creditados conforme vão se tornando aptos na Susam.
 
Carlos Almeida informou ainda que espera concluir os pagamentos o mais breve possível. Logo em seguida, inicia o processo de pagamento do mês corrente, no caso janeiro, que será faturado para ocorrer ainda em fevereiro. 

Pendências
 
Os pagamentos ainda não realizados dependem da documentação das empresas. “Estão pendentes na área de apreciação documental, o que é normal, porque estamos fazendo agora pagamento de exercício anterior e existem problemas burocráticos que precisam ser resolvidos, em especial daquelas que são contratualizadas em caráter excepcional e indenizatório. Isso exige um cuidado adicional da administração”, explicou o secretário.
 
Sobre a manifestação dos trabalhadores por salários, Carlos Almeida pediu ao Sindipriv-AM que todas as reclamações sejam documentadas na Susam para tomada de providência. “O que os trabalhadores e o sindicato desejam é algo que nós também defendemos, que o pagamento feito para as empresas se reverta para o trabalhador”, ressalta o secretário.
 
O secretário da Saúde destacou que nenhuma comunicação do sindicato em relação à informação sobre os problemas foi documentada na Susam, como foi solicitado desde a primeira reunião, entre Susam e Sindpriv-AM, em janeiro. Ele ressaltou que tem atendido a todos os pleitos apresentado pelo sindicato. “Já pediram o pleito conosco em janeiro e atendemos, teve demandas conosco ainda essa semana, na segunda-feira (04/02), e nós atendemos. Mas precisamos que as novas denúncias (sobre não pagamento de salários, assédios, ameaças) sejam documentados para a tomada de providências”, reafirmou Carlos Almeida.
 
Ele lembrou que ainda no mês passado, se reuniu com o Ministério Público do Trabalho (MPT) para tratar da garantia do repasse dos pagamentos aos funcionários das terceirizadas. “Nós não podemos admitir que os funcionários não recebam, nós não aceitamos assédio moral ou qualquer outra ameaça, segundo o que já nos foi relatado. Então, os caminhos e a interlocução com o sindicato e qualquer outra categoria, estão abertos já desde o início e o caminho correto é a via da comunicação para que nós possamos, tanto documentar quanto resguardar o trabalhador”, ressaltou o Secretário.

MAIS NOTÍCIAS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Publicidade
Publicidade
Publicidade

CURTA-NOS