▸ Acompanhe nas redes

NOTÍCIAS / politica
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

10.05.2018 - 10:40  |  CRISE NA POLÍTICA

David apoia ampliação da CPI para investigar governos de Eduardo Braga até Amazonino

Assessoria de Imprensa - ALEAM

David Almeida

Luiz Castro pode ser o relator da CPI que poderá passar a limpo as ações dos últimos 16 anos do Governo do Amazonas

Por Warnoldo Maia de Freitas
 
Depois de ser provocado pelo líder do governo na Assembleia Legislativa do Estado (ALEAM), Dermilson Chagas (PP), o presidente do Legislativo amazonense, David Almeida (PSB), defendeu na manhã desta quarta-feira, 10, a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar possíveis irregularidades praticadas no Governo do Amazonas no período de 2002 até 2018.
 
O relator desta Comissão Parlamentar de Inquérito, que deverá incomodar o sono dos últimos 16 anos de inúmeros esqueletos colocados nos armários do esquecimento da política amazonense, poderá ser o deputado Luiz Castro (Rede), pré-candidato ao senado nas eleições de outubro, que aceitou o desafio proposto por Sabá Reis (PR).
 
CPI ampla
 
A proposta de ampliação do raio de atuação da CPI proposta por Sabá Reis (PR), para investigar as dispensas de licitação da gestão de Amazonino, se reunir pelo menos a assinatura de oito deputados, vai passar a limpo as ações dos governos Eduardo Braga (MDB), Omar Aziz (PSD), José Melo (PROS), David Almeida, (interino quando estava no PSD), e os seis meses de Amazonino Mendes (PDT).
 
A ideia foi dada por Dermilson Chagas que, durante um breve pronunciamento, defendeu a implementação de uma pauta positiva naquela casa, criticou os que insistem em não querer deixar “Amazonino trabalhar” e sugeriu, em forma de provocação, que a Assembleia instalasse, também, CPI’s para “investigar casos de terrenos, pagamentos de R$ 5 milhões e de R$ 27 bilhões de reconhecimento de crédito”.
 
Imediatamente o presidente da Casa, David Almeida, acatou a sugestão de Dermilson e pediu para que Sabá Reis ou o próprio líder do governo oficializassem o pedido para a extensão do raio de atuação da CPI e propôs a inclusão da apuração da denunciada obra da construção de um muro na residência do governador Amazonino Mendes.
 
Na sequência o vice-presidente da Assembleia, Abdala Fraxe (Podemos), anunciou o seu apoio à proposta de ampliação dos objetos de investigação da CPI e foi seguido por Sabá Reis, que parabenizou Dermilson por “contribuir para aumentar o desgaste da imagem do governador Amazonino Mendes”.
 
A líder do MDB na ALEAM, a deputada Alessandra Campelo, que foi ex-secretária estadual de Esportes em 2012, deixou claro que assinará a proposta de uma CPI ampla, porque tal iniciativa servirá para “dirimir dúvidas” sobre supostas irregularidades não apuradas nas secretarias estaduais de Infraestrutura e da saúde.
 
“As dispensas de licitação de todas as gestões precisam ser passadas a limpo. Assino a proposta de CPI, desde que seja para investigar, pelo menos, os últimos três anos. Se for mais, não tem problema. Eu fui secretaria da Sejel em 2012 e se quiserem incluir não tem problema”, destacou.
 
José Ricardo também se manifestou favorável à proposta de ampliar o leque da CPI, mas apontou a necessidade de se instalar, também, a da saúde.
 

MAIS NOTÍCIAS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Publicidade
Publicidade
Publicidade

CURTA-NOS