Quinta-feira | 15/11/2018
▸ Acompanhe nas redes

NOTÍCIAS / economia
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

25.10.2018 - 19:00  |  Matadouros

Moradores de Humaitá denunciam favorecimento a Matadouro Agrocarne

Reprodução

Entre as irregularidades apontadas destaca o perdão de multas aplicadas por reincidência de várias irregularidades

Denúncias indicam uso político do IPAAM para "favorecer amigos do governador, ao arrepio da lei"   


Por Warnoldo Maia de Freitas 
 
Moradores de Humaitá encaminharam denúncia ao site na quarta-feira, 24, denunciando o que classificam como “favorecimento político” ao proprietário do Matadouro Agrocarne, Comércio Atacadista de Carne, que estaria operando irregularmente naquele município, “graças ao aval dado no dia 11 de outubro deste ano pelo secretário estadual de Meio Ambiente e presidente do IPAAM, Marcelo Dutra, que, ao arrepio da lei, dispensou as multas aplicadas”.
 
De acordo com as informações encaminhadas, depois de várias denúncias efetuadas junto ao Ministério Público o matadouro continuou vendendo normalmente “inclusive, até mesmo para a merenda escolar do município”.
 
“Em 6 de agosto uma equipe técnica de fiscalização do IPAAM, notificou, embargou e multou em 22 mil reais aquele estabelecimento. Mas, eles violaram os lacres e voltaram a trabalhar normalmente”, informam.
 
Segundo as denúncias, logo depois, em 14 de agosto, uma outra equipe de fiscalização, contando com o apoio policial, lacrou mais uma vez o matadouro, bem como notificou o estabelecimento, apontando a necessidade da apresentação de licença ambiental, e majorou a multa aplicada para R$ 50 mil devido a reincidência na conduta de desrespeito à legislação vigente e às recomendações da equipe de fiscalização.
 
“Mas, para surpresa geral, sem que nenhuma providência destinada a atender as exigências técnicas indicadas nas notificações anteriores – PROCESSO  3960.2018 – o titular daquela pasta, o secretário estadual Marcelo Dutra, afim de conquistar votos para o seu governador, assinou, no dia 11 de outubro último, um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), em total desrespeito à legislação e ao corpo técnico do IPAAM, que considera a conduta do secretário uma ingerência política, pautada na estratégia do toma lá, dá cá”, destaca a denúncia.
 
Até o fechamento desta edição a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Meio Ambiente não se manifestou sobre o assunto.
 

MAIS NOTÍCIAS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Publicidade
Publicidade
Publicidade

CURTA-NOS