▸ Acompanhe nas redes

NOTÍCIAS / politica
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

08.02.2019 - 17:05  |  LAVA TOGA

Plínio apoia a CPI do Judiciário

Reprodução

Plínio Valério

 
Plínio deixou claro que tem por princípio “assinar todas as CPIs propostas pelos colegas”, por considerar a CPI o instrumento mais forte à disposição dos parlamentares.
 
 
O senador Plínio Valério (PSDB/AM) assinou na quinta-feira, 7, o requerimento de criação de uma CPI para investigar o Judiciário, protocolada naquele dia, na Mesa Diretora do Senado, por Alessandro Vieira (PPS/SE), para investigar condutas que extrapolem o exercício regular das competências daquele Poder.
 
Plínio deixou claro que tem por princípio “assinar todas as CPIs propostas pelos colegas”, por considerar a CPI o instrumento mais forte à disposição dos parlamentares.
 
“Não podemos é usar esse canhão contra uma mosca. A gente tem que saber como usar. Eu sou favorável a defender o fortalecimento das instituições, como o Poder Judiciário, de forma institucional e respeitosa”, disse ele.
 
Ao falar sobre a CPI de Brumadinho, o senador tucano disse que se o trabalho da comissão resultar na mudança de regras para punir os gestores das empresas, será um grande passo.
 
“É preciso responsabilizar o gestor. Não sou a favor de sair prendendo, como foi feito. É preciso investigar e identificar o culpado. É preciso punir de cima para baixo. Pune o gerente, o engenheiro. E o cara lá em cima? Tem que apertar a fiscalização e ter punição criminal para os cabeças. Ou os que moram em Nova Iorque, tomam os melhores vinhos e viajam para os maiores paraísos vão ficar numa boa?  Se o gestor souber que pode ir para a cadeia, já é um avanço”, afirmou Plínio Valério. 
 
Segundo ele, o resultado da CPI para investigar as causas e a responsabilidade da Vale do Rio Doce no rompimento da barragem de Brumadinho, em Minas Gerais, precisa garantir a punição dos gestores da empresa, não só engenheiros e fiscais.
 
 

MAIS NOTÍCIAS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Publicidade
Publicidade
Publicidade

CURTA-NOS