Quinta-feira | 22/08/2019
▸ Acompanhe nas redes

NOTÍCIAS / politica
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

11.05.2019 - 13:40  |  Greve dos professores

Reajuste proposto aos professores não é ideal, mas é o limite, avalia Therezinha Ruiz

Assessoria de Imprensa

Therezinha Ruiz defende o diálogo

 

 
Depois de acompanhar várias rodadas de negociação entre representantes  sindicais da categoria dos professores, em greve há 26 dias, e o Governo do Estado, a deputada Therezinha Ruiz (PSDB), considera que a contra proposta final  de 4,73% de reposição salarial não é o ideal, mas é o limite máximo que o Governo alega que pode oferecer.
 
A proposta foi confirmada pelo secretário estadual de Educação, Luiz Castro, durante reunião realizada na tarde desta sexta-feira, na sede do governo, diante das lideranças sindicais que manifestaram insatisfação com o reajuste de 4,73%, mas eles se comprometeram em realizar assembleias para comunicar a categoria e decidir pelo fim da greve ou não.
 
Na avaliação da deputada Therezinha Ruiz, o Governo do Estado precisa manter o canal de diálogo aberto ao debate com os professores, assim como a categoria precisa refletir sobre o atual momento de crise econômica, considerando também as condições financeiras do Governo em relação à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). 
 
“É importante que a discussão continue, mas é necessário que as atividades escolares, paralisadas há quase um mês, se normalizem com a retomada das aulas”. defende a deputada.  
 
De acordo com o Governo o percentual de 4,73% é o limite máximo do que pode oferecer à categoria em 2019, sob pena de comprometer o pagamento de todos os servidores e o bom funcionamento dos serviços públicos.
 
Benefícios
 
A proposta do Governo prevê de imediato as progressões horizontais para 16 mil servidores; Progressões verticais de 12%, 50% e de 55% para 1,5 mil servidores; Reajuste do auxílio localidade com aumento de 100% para os servidores da educação das cidades do interior e de 233% para os que atuam nas comunidades rurais.
 
Para isso, o Estado incluirá no Projeto de Lei da adta-base que será enviada à Assembleia Legislativa, proposta para transformar o auxílio em verba indenizatória, para garantir o reajuste.
 
O Governo propõe também um acréscimo de R$ 30 no vale alimentação, além da extensão do vale-transporte, em Manaus para os professores de 40 e 60 horas. Os demais servidores da educação também receberão o vale-transporte.
 

MAIS NOTÍCIAS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Publicidade
Publicidade
Publicidade

CURTA-NOS