▸ Acompanhe nas redes

NOTÍCIAS / politica
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

28.08.2018 - 11:45  |  OBRAS SEM LICITAÇÃO

Sabá chama Amazonino de “grande mentiroso” e diz que ele precisa ser internado

Assessoria de Imprensa

Sabá comemora ter evitado "roubalheira" de R$ 11 milhões na Seduc


Deputado cita os mais de R$ 470 milhões gastos com 594 obras sem licitação e comemora ter evitado "roubalheira de R$ 11 milhões", na Seduc

Por Warnoldo Maia de Freitas
 
O deputado estadual Sabá Reis (PR), autor da proposta de CPI para investigar os mais de R$ 470 milhões gastos pelo Governo do Amazonas com o pagamento de 594 obras e serviços realizados sem licitação, reagiu com indignação na manhã desta terça-feira, 28, às afirmações do governador Amazonino Mendes (PDT), que disse durante entrevista na Rede Tiradentes, na segunda, 27, que não dispensou licitação coisa nenhuma e que tudo “é coisa de política”.
 
Depois de mandar exibir um vídeo, no qual Amazonino Mendes aparece perguntando qual foi a licitação realizada de forma direcionada pelo seu governo, e em seguida responde “nenhuma”, Sabá externou a sua preocupação com a saúde do governador e disse que se algo acontecer ao chefe do Executivo vai responsabilizar os médicos da base: Vicente Lopes e Dr. Gomes.
 
“O Amazonino está doido, está doente. Ele disse que não há nenhuma licitação irregular e foi desmentido pelo secretário de educação do estado, que, pressionado por nós, achou melhor suspender a compra indecente”, disparou.

“Grande mentiroso”
 
Em breve pronunciamento o deputado disse que Amazonino Mendes “é um grande mentiroso e precisa ser internado, imediatamente”, porque anda dizendo que não há obras sem licitação no seu governo, “que conta com uma comissão de licitação séria e isenta”, e como prova do seu argumento destacou que a Secretaria de Educação havia acabado de cancelar a compra de livros que “representariam o roubo de mais de R$ 11 milhões dos cofres públicos”, graças a sua denúncia.
 
“Graças a Deus conseguimos conter parte dessa roubalheira nos recursos do FUNDEB, graças as ameaças feitas por mim desta tribuna. Nós conseguimos impedir este assalto. Se esta casa continuar assim, seja que for o governador de plantão, vai prestar um grande serviço ao povo do Amazonas”, afirmou.
 
Sabá disse, ainda, que se ele tivesse ficado calado e não tivesse feito o que fez, “denunciando a maracutaia que estava sendo promovida na Seduc”, o livro, que custa R$ 2,50 e seria comprado por R$ 50,00, a unidade, “serviria de instrumento para uma roubalheira sem tamanho” de mais de R$ 11 milhões”.
 
“Foi muita luta. Eu fui ameaçado, por causa disto tudo mas valeu a pena, porque conseguimos evitar mais uma roubalheira deste governo, que está desmantelado”, completou, apontando os problemas registrados todos os dias no estado, particularmente nas áreas da saúde e da segurança pública.
 

 

MAIS NOTÍCIAS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Publicidade
Publicidade
Publicidade

CURTA-NOS