Quinta-feira | 19/09/2019
▸ Acompanhe nas redes

DIRETO AO PONTO
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

09/05/2019 - 20:05

Josué vai prestar contas

Josué Neto

Por Warnoldo Maia de Freitas
 
O deputado estadual Josué Neto (PSD) vai prestar contas na terça-feira, 14, dos 100 primeiros dias da sua gestão na presidência da Assembleia Legislativo do Estado (Aleam).
 
Josué Neto convocou todos os parlamentares a participar dessa ação, que tem por objetivo mostrar à sociedade os avanços e as conquistas do Legislativo estadual nesse período.
 

E o deputado se exaltou
 
O deputado Sinésio Campos (PT) se exaltou com Wilker Barreto (Podemos) ao ser convidado para assinar um requerimento destinado a viabilizar a instalação da CPI da Seduc, destinada a “passar a limpo” os contratos sem licitação firmados na gestão do ex-deputado Luiz Castro, atual secretário estadual de educação.
 
Bola fora
 
Ao ser convidado a assinar o requerimento Sinésio teria dito que não assinaria, por acreditar que a CPI da Seduc não daria em nada representava perda de tempo.
 
Ao ser questionado no corredor o parlamentar se exaltou com o jornalista, querendo saber quem “estava espalhando boatos” a seu respeito, mas acabou se acalmando ao ser informado de que a Constituição Federal, aquela de 1988, assegura o sigilo da fonte.
 
Depois, mais calmo, Sinésio classificou a informação de “bola fora”.
 
 
Tática da pressão
 
Ao ser colocado contra a parede sobre uma declaração que teria dado ao seu colega de parlamento, declaração essa confirmada por duas pessoas que estavam próximas na hora do fato, o deputado Sinésio Campos tentou colocar em prática a tática da pressão, usada por alguns ex-governadores, para desarmar o seu interlocutor, mas a estratégia não funcionou.
 
 
Trivialidades
 
Ao ser indagado sobre o assunto que foi discutido, animadamente, no início dos trabalhos, por ele, o presidente Josué Neto, Wilker Barreto, Dermilson Chagas e a professora Therezinha Ruiz, Sinésio respondeu: apenas trivialidades.
 
 CPI desacreditada
 
 A CPI da Seduc está desacreditada e de acordo com alguns parlamentares, poderá não ser instalada. Até esta quinta-feira o requerimento para a sua instalação contava apenas com as assinaturas de Wilker Barreto, Dermilson Chagas (PP) e Augusto Ferraz (DEM).
 
Trazer luz
 
Para Dermilson Chagas, que atua na oposição ao governo Wilson Lima (PSC), juntamente com Wilker Barreto, a “CPI d Seduc vai trazer luz para o desvio de dinheiro na Secretaria de Educação do Amazonas”.
 
“Passar a limpo”
 
Já Wilker Barreto disse que o trabalho da Comissão “vai combater e passar a limpo as dispensas vergonhosas de licitação que estão acontecendo na Seduc”.
 
"Objetivos políticos" 
 
Há quem diga que a CPI da Seduc proposta por Wilker “não passa de um estratagema com objetivos políticos, porque quer avaliar, apenas as ações de quatro meses do governo Wilson Lima”.
 
Últimos governos 
Quem pensa dessa forma, mas não quer se expor para evitar desgastes destaca que, para ser efetiva e identificar os “desmandos” cometidos na Seduc, se faz necessário passar a limpo as ações de todos os últimos governos pretéritos, porque a atual gestão herdou muitos problemas.
 
Focado nos professores
 
 
 
Ao ser questionado se assinaria ou não o requerimento para viabilizar a instalação da CPI da Seduc, o deputado Fausto Júnior (PV) disse que ainda não conhece os argumentos apresentados por Wilker, mas revelou que está focado na busca de melhorias para os professores.
 
 Plano de saúde
 
Como exemplo, Fausto revelou que está defendendo a extensão dos benefícios do plano de saúde dos profissionais da educação para os professores que moram no interior e para os aposentados.
 
“Sumiu do pedaço”
 
Visto quase que diariamente na Assembleia Legislativa do Estado, onde está instalada a sede da Associação dos Deputados e Ex-deputados, o ex-deputado Fausto Silva “sumiu do pedaço” desde que foi condenado pela Justiça a 15 anos de prisão, sob a acusação de integrar uma organização criminosa que seria chefiada pelo seu irmão, o falecido deputado Wallace Souza.
 
 

 

VEJA MAIS

Publicidade
Publicidade
Publicidade

CURTA-NOS