Quinta-feira | 12/12/2019
▸ Acompanhe nas redes

NOTÍCIAS / economia
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

21.10.2019 - 18:50  |  Expectativas

Pesquisa aponta otimismo para crescimento de empresas familiares em 2020

Reprodução

 
Uma pesquisa realizada pela MB Consultoria com 148 entrevistados de 80 empresas localizadas em três regiões do Brasil, sobre expectativas e percepções sobre Mercado e Governança Corporativa, revelou um cenário otimista com relação ao crescimemnto de empresas familiares em 2020.
 
Quando questionadas sobre qual expectativa a empresa teria para o cenário econômico em 2020, 57% responderam que será um bom ano com uma recuperação gradativa do cenário. O otimismo também predominou na resposta de 20% dos entrevistados que esperam que o próximo ano será muito bom para recuperação da economia e estão otimistas.
 
Márcia Vieira, consultora da MB Consultoria responsável pela coordenação da pesquisa, conta que o resultado será utilizado como base de entendimento para oferecer soluções a partir das necessidades apresentadas pelas empresas participantes da Pesquisa GC, compostos por clientes e empresas de fora do portfólio atendido pela consultoria. 
 
“Nós iremos utilizar o resultado da pesquisa para adaptarmos nossas soluções em consultoria para empresas familiares, buscando ampliar a aderência dos projetos de governança corporativa às reais necessidades e desafios das empresas, forneceremos os resultados da pesquisa para nossos clientes que são empresas familiares, eles certamente poderão aprender e comparar suas necessidades com as outras empresas”.
 
A transformação digital também é um tema que permeia a Pesquisa GC 2019, 26% dos entrevistados prevê que haverá uma redução em até 10% do número de empregos, pois “já sentem isso”, 28% diz que haverá uma redução em mais de 10% dos empregos, ambos considerando a transformação digital no segmento de atuação da empresa e seu nível de aderência ao uso de tecnologia e inovação, e quanto poderá impactar na redução da geração de empregos ou no número de profissionais contratados por estas empresas.

Perfil do participante
 
84% dos entrevistados que participaram da pesquisa fazem parte da família e estão na primeira geração dos fundadores, 39% trabalham na empresa, não são sócios e não são familiares; 36% são sócios, familiares e trabalham na empresa enquanto 43% fazem parte do Top-Down da liderança das empresas. 
 
Sobre a formação dos participantes da pesquisa, 88% possuem ensino superior completo ou em andamento, quanto à idade, o levantamento dividiu em grupos por geração, 31% são “Baby Boomers”, com idades entre 50 a 64 anos; 49% são da geração “X Gen”, de 35 a 49 anos; 16% são “Y Gen”, de 21 a 34 anos de idade e apenas 4% são da “Geração Silenciosa” com mais de 65 anos.

Perfil das Empresas
 
Por idade de fundação, 46% das empresas respondentes à pesquisa possuem entre 11 e 30 anos, 39% até uma década e de 31 a 50 anos, apenas 14%. Sobre autoavaliação, 44% das empresas entrevistadas consideram-se um grupo forte, mas necessita de melhor estruturação e encontram-se com idade entre 31 e 50 anos de fundação. 
 
Nos últimos cinco anos, 30% dos entrevistados das empresas familiares participantes da pesquisa afirma ter crescido de 6% a 12%; 23% diz ter crescido acima de 20%. E para os próximos cinco anos, uma projeção: 63% acredita que o grau de dificuldade que a empresa enfrentará no mercado será bem maior que hoje. Ao se tratar de “Inovação”, 47% atribui o papel de principal provocador da mudança na empresa ao CEO e Conselho.

Percepções sobre Governança Corporativa
 
A pesquisa GC 2019 levantou junto aos participantes da edição, suas percepções sobre governança corporativa que envolve um conjunto de processos, costumes e leis que norteiam a forma como uma organização é administrada, ou seja, mostra a direção que uma empresa deve seguir para alcançar os resultados esperados. 
 
Sobre as práticas aplicadas pelas empresas, 54% diz utilizar atualmente o Código de Ética e 49% Reuniões Sistemáticas de Sócios como práticas de governança corporativa; 42% acredita que a Governança Corporativa pode reduzir conflitos entre os sócios e 49%, os conflitos familiares; 46% concorda que o impacto nos decesso (morte) de fundadores pode ser minimizado com as práticas de governança corporativa e 48% que a ferramenta facilita o processo racional de aposentadoria de fundadores, além de elevar o valor de uma possível venda da empresa (44%). 
 
Se você quiser conhecer mais sobre os resultados desta pesquisa envie um e-mail para: marcia@mbconsultoria.com. Para cada resposta foi doado um valor para a instituição AAPPNE - Manaus. 
 
 
 

MAIS NOTÍCIAS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Publicidade
Publicidade
Publicidade

CURTA-NOS