Terça-feira | 07/07/2020
▸ Acompanhe nas redes

NOTÍCIAS / politica
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

01.06.2020 - 06:05  |  O ato de beber leite

Vovó CACILDA quer saber o que é mais grave: beber leite ou desviar milhões da saúde?

Reprodução

 Vovó CACILDA diz que quem defende o caos precisa meditar sobre a "Oração de São Francisco", Estrelas do Natal 


Por Warnoldo Maia de Freitas

Vovó CACILDA foi surpreendida no domingo, 31 de maio de 2020, com uma mensagem no seu Whats Aap informando que uma antropóloga havia criticado o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), porque ele havia se "exibido" bebendo um copo de leite.

Sem entender o "mal, a conduta indevida" que estava sendo estimulada pelo "presidente desbocado e exibido", vovó CACILDA resolveu ler a matéria sobre o assunto e descobriu, segundo as informações que lhe foram enviadas, que Bolsonaro havia feito o gesto durante uma live para estimular o consumo do produto no país e que teria sido transmitida na noite da quinta-feira, 29/05. 

Mesmo desconfiada sobre a divulgação da suposta live, que poderia ser mais uma fake news,  porque o link de acesso levou-a a uma outra publicação totalmente diferente da anunciada, vovó CACILDA passou a pensar sobre o assunto para ver se conseguia entender como era possível associar o simples ato de beber leite a uma "manifestação nazista", conforme teria sido feito pela antropóloga.

"Por que tem gente que critica o simples ato de beber um copo de leite, mas insiste em ignorar, em virar às costas para os problemas nacionais e não dá um pio, por exemplo, contra os atos de corrupção registrados em todo o país?", questionou.

Pensativa, sobre o fato e ciente de que cada um "pensa o que quer ou é levado a pensar o que querem", e de que, como bem disse  Yuval Noah Harari, que "o nosso maior inimigo não são é o vírus - a exemplo da Covid-19 -, mas nossos demônios interiores", a doce vovó também passou a refletir sobre os efeitos dos atos da corrupção sistémica registra no Brasil.

"O que gera mal maior para o país: o ato de um presidente beber um copo de leite em manifestação de apoio aos produtores do produto, para incentivar o seu consumo, ou a liberação constante de crimionos do colarinho branco? Será que aparecer bebendo leite é mais grave do que deixar prescrever inúmeros processos e investigações nos tribunais brasileiros, nas quais muita gente importante é acusada de mil falcatruas, entre elas o desvio dos recursos destinados à área da saúde?", questionou.

Direta, como de costume, vovó CACILDA afirmou que não precisa ser nenhum gênio ou ter estudado em alguma das melhores universidades do planeta para escolher a resposta correta,  principalmente, se a pessoa levar em conta que a maior parte da população brasileira desconhece ou não tem "o menor interesse em conhecer" estudos antropológicos de quem quer que seja, porque está mais preocupada em arranjar um emprego para dar de comer à sua família e assegurar a sobrevivência com dignidade das pessoas a quem ama.

"Será que, se amanhã o presidente aparecer tomando suco de maracujá vão dizer que ele está criticando os chineses ou os japoneses, que são considerados da raça amarela? E se ele aparecer tomando café? Será que vão dizer que ele é racista, que é contra os negros?" Tenha santa paciência", afirma vovó CACILDA. "Pensei já ter visto de um tudo nesta vida, mas vivi 90 anos para ver gente desocupada e querendo aparecer dizendo que agora ninguém pode beber leite, porque é um ato racista, de defensores do nazismo. Discunjuro", disparou.

Segundo vovó CACILDA, da mesma forma que o racismo precisa ser combatido em nosso país com todas as forças dos seus cidadãos, desde a escola, manifestações "descabidas e extremadas" como essa, de comparar o ato de beber leite com manifestação nazista, também precisam acabar.

"Precisamos ensinar as nossas crianças a respeitar a diferença dos seus colegas, porque o respeito à diferença num país como o nosso é fundamental, pois vivemos num país miscigenado, que possui pessoas de vários tipos, raças, etnias e credos, mas somos um só povo, o povo  brasileiro. O respeito é fundamental", observa.

Para vovó CACILDA, esses ditos estudiosos e seus seguidores deveriam, por exemplo, gastar suas energias buscando maneiras para criar mais empregos e renda no país, para combater a miséria registrada há muitos anos e que continua maltratando muitas famílias, bem como medidas eficazes para combater a falta de saúde, de escolas, de hospitais e de segurança.

"Seria extremamente benéfico para o Brasil se esses ditos estudiosos dedicassem seu precioso tempo e recursos financeiros para combater as mazelas nacionais, bem como no desenvolvimento de uma VACINA eficaz contra a CORRUPÇÃO, porque o dinheiro roubado faz falta para a saúde, para a educação e para a segurança", disse ela.

Segundo vovó CACILDA, ao invés de se empenhar na busca de estratégias destinadas a impedir o presidente Bolsonaro de governar, com o objetivo claro de colocar o país na beira do abismo, como já revelaram, segundo a imprensa, alguns políticos conhecidos, essa turma deveria meditar sobre a letra da "Oração de São Francisco, Estrelas do Natal".

"Essa turma precisa entender que é preciso levar luz onde onde há trevas. É dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado", ensina. "É preciso deixar o presidente governar e se ele não corresponder, na próxima eleição mandamos ele para casa". 
 
 

 

 
 

 

 
 

MAIS NOTÍCIAS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Publicidade
Publicidade
Publicidade

CURTA-NOS