Quinta-feira | 02/07/2020
▸ Acompanhe nas redes

COLUNISTAS
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

23/06/2020 - 05:30

A eterna afinidade e importância do número da residência

Edclei Vasconcelos

A difícil e árdua missão do carteiro

Certo dia, na tentativa de entregar mais uma encomenda à dona Francisca, moradora antiga que residia no beco dos lagos nº 85, localizado em área de risco no Conjunto Vila Amazonas, local prestes a ser indenizado pelo estado para a criação de praças melhorando o planejamento urbano e diminuindo o grande índice de seres humanos residindo em áreas de perigo iminente, o carteiro se viu na seguinte situação um tanto inusitada e engraçada.

Trabalhou até sexta-feira e observou máquinas e tratores pela área. Na segunda-feira, iniciou os trabalhos como de costume e foi à luta. Na quinta-feira surgiu outra encomenda para a dona Francisca. Mas quando foi à procura de seu endereço, soube que o beco terminou na casa de número 15, e o restante dos moradores já haviam sido indenizados e se mudado do antigo logradouro.

Preocupado, o carteiro ficou tentando localizar a dona Francisca e esperou mais dois dias antes de devolver sua encomenda. Sem sucesso na busca e nenhum sinal da dona Francisca ou alguma reclamação ou procuração, ele devolveu a encomenda no terceiro dia ao remetente, com a declaração de que ela havia mudado de endereço.

Na terça feira seguinte, praticamente duas semanas depois, chegou aos Correios uma encomenda endereçada a dona Fran. Nela estava o seguinte endereço do destinatário: Rua das esmeraldas nº 85, aos cuidados de dona Fran, mesmo Bairro.

Pensando, o carteiro que trabalha há mais de 20 anos no Bairro estranhou o endereço, desconfiou do nome, e logo diz: “Desconheço! Nunca vi. Não existe esse número 85 na Rua das esmeraldas, mas é melhor verificar”.

O carteiro achou estranho, porque só existiam 20 residências naquele logradouro, dez de um lado e dez do outro. A numeração é padrão e individualizada, lados pares e ímpares, e a última residência de número ímpar é a casa 19. Mas foi até o logradouro para ter certeza se o remente pôs o endereço correto.

Chegando à Rua das esmeraldas, o carteiro ficou pra lá e pra cá procurando o número 85, mas não o encontrava jeito algum. O primeiro número e casa é 01, e o último 19. Aonde está esse 85? Ficava se perguntando...

Quando já estava desistindo e se retirando da rua, observou na parede de dentro da casa de número que sempre foi número 07, uma placa de número 85, igualzinha à da dona Francisca do beco dos lagos.
Achou um tanto estranho porque nunca havia visto aquela placa de identificação da residência, antes. Mas, como de praxe, gritou o famoso e barulhento: CORRREIOSS!!

Em seguida eis que surge um grito de dentro da casa com motivo de alegria. “É O NOSSO CARTEIRO, MÃE!! Ele encontrou nossa casa! Nossa encomenda chegou!”  

Surgiu nada mais nada menos que a dona Francisca das Dores. Feliz da vida pelo fato de o carteiro ter encontrado seu novo endereço.

Na ocasião, o carteiro ficou feliz de rever dona Francisca, parabenizou pela conquista de sua nova residência, mas lhe fez a seguinte pergunta.

- Dona Francisca, me diga uma coisa: esse número de sua nova residência eu sempre conheci como número 07. Por que a senhora deu o número antigo, 85, na encomenda?

 Em seguida ela responde: - É que esse é o meu número senhor carteiro, número da minha primeira casa e vai ser assim até a última.

- Sério, dona Francisca!? E se a senhora mudar um dia daqui e for morar, por exemplo, no Bairro Cidade Nova?

Ela respondeu com todas as letras: “Meu amigo carteiro, eu levo meu número pra lá também, eu não sei viver sem ele”. E sorriu.

O nobre amigo respondeu. - Dona Francisca, se a senhora soubesse da dor de cabeça que observamos e vivenciamos nas residências com dois, ou três números na mesma casa, ou na mesma rua! Um número da prefeitura, outro do cadastro da empresa, outro da empresa fornecedora de conta de água e outro número da conta de energia. Porque o ideal mesmo, assim como o CPF, seria que todos nós usássemos e tivéssemos um único número para todas as empresas prestadoras de serviço público e da prefeitura. Além do troca-troca dos nomes e CEP´s dos logradouros, é uma reclamação constante de muitos clientes dos Correios, porque dificulta a localização.

Mas se esse é o seu número de coração... já sei onde fica.

Até a próxima, dona Francisca.

Edclei Estevam de Vasconcelos.
 
 

VEJA MAIS

Publicidade
Publicidade
Publicidade

CURTA-NOS