Quarta-feira | 20/10/2021
▸ Acompanhe nas redes

COLUNISTAS
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

22/01/2018 - 06:05

UM NOVO AMOR

Tarcsio Barbosa

 Tarcísio Barbosa

 
Há poucos dias precisei comprar alguns produtos de higiene. Passei em frente a um supermercado chamado Novo Amor. Gostei do nome, parei o carro e entrei para fazer minhas compras.  Fui tão bem atendido por um funcionário que acabei comprando algumas coisas de que eu nem precisava. Todavia, a expressão “novo amor” ficou gravada na mente. 
 
Lembrei-me da música: “Alguém me disse que tu andas novamente/com um novo amor, nova paixão, toda contente... 
 
Aproveito o “gancho” para alguns considerandos. 
 
Melhor que um novo amor, somente uma paixão - daquela avassaladora, de arrasar quarteirão, de deixar você de queixo caído, gago, babando, de olho parado, de ter descargas fortes de adrenalina, de dar “bambeza nas pernas”, de deixar você dependente de telefonemas, de e-mails, de declarações, de presenças constantes!  Essa é que é uma paixão verdadeira! 
 
Que seja efêmera também! 
 
When I fall in love is forever – quando eu amar será para sempre! 
 
Tá por fora! Paixão muito longa acaba ficando pegajosa. 
 
My love for you is deep and endless the sea – meu amor por você é profundo e sem fim como o mar.
 
Vá lá, mas que seja rápida! Paixão eterna?  Nunca! Afinal de contas, nós não somos eternos!   Que dure só enquanto durar o encanto!
 
Uma nova paixão vai lhe dar mais energia, mais inspiração para melhor desfrutar a vida. Vai pôr-lhe um sorriso no rosto, um brilho diferente nos olhos, você vai ter certeza de que a vida  é bela e vai lhe preparar surpresas maravilhosas.  Saia por aí!  Vá à luta!  Solte a franga e o resto também!
 
Muita gente existe que passa pela vida.  Não teve grandes nem pequenas paixões, não amou, não sofreu – não viveu! Simplesmente passou pela vida!
 
Saia da mesmice, corra atrás!  Não aposente seus sentimentos.  Só existe uma idade para a gente ser feliz, para viver uma grande paixão; uma só idade para se encantar com a vida, desfrutá-la com toda a intensidade, sem medo, sem culpa de sentir prazer e de ser feliz.  Essa idade não é cronológica. Você pode ter 8 ou 80 anos.  Essa idade é o presente, segundo Mário Quintana.
 
Dê uma nova chance a si mesmo.  Ache um tempo para sonhar – ainda não se cobram impostos dos sonhos - para ser feliz, para uma nova aventura, uma nova paixão! 
 
Só existem dois dias no ano em que você nada pode fazer: o ontem e o amanhã.  O hoje, aproveite-o para um novo amor, uma nova paixão. 
 
Jamais dispense uma nova paixão, um relacionamento. Não deu certo?  Tente de novo, e de novo, e quantas vezes for preciso! A vida é curta.  
 
De repente você parte antes de encontrar um grande amor e sua vida na terra terá sido em vão!  
 
Dê o que falar ainda em vida -  depois de morto você não saberá se falam mal ou bem de você. Prefira o erro, à omissão; o fracasso, ao tédio; o escândalo, ao vazio. Cometa novos erros!  As pessoas muito certinhas não estão com nada!
 
Quando eu estiver a caminho dos grandes campos de caça, quero arrepender-me do que fiz, não daquilo que deixei de fazer. Não quero me arrepender por omissão! Não quero dizer como aquele filósofo grego, mas que falava latim: “frustra consumpsi” - vivi sem grandes momentos!
 
Enquanto isso, adotarei a paixão como companheira  -  parafraseando o poeta Khalil Gibran.  Passearei pelos prados verdejantes de minha terra natal de mãos dadas com uma nova paixão, ouvindo o canto dos pássaros e vendo pôr do sol entre as montanhas. E continuarei sendo feliz nessa terra que me viu nascer!
 
jtbarbosa500@yahoo.com.br  

VEJA MAIS

Publicidade
Publicidade
Publicidade

CURTA-NOS