Segunda-feira | 19/10/2020
▸ Acompanhe nas redes

NOTÍCIAS / politica
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

06.07.2020 - 12:05  |  Fraudes na saúde

CACILDA quer saber quem vai levar o Prêmio da Melhor Lorota: Carla, Dany ou Renata?

Reprodução

Wilson foi enganado ou sabia de tudo? questiona vovó CACILDA, dizendo-se surpreendida por Carla, que revelou que dava, de GRAÇA, consultoria para o governador. 


Por Warnoldo Maia de Freitas

Depois de tomar conhecimento, por meio da imprensa, do depoimento prestado pela empresária Renata Mansour à Polícia Federal, informando ter sido "coagida a ficar quieta de tudo, porque o médico e empresário Luiz Carlos Avelino Júnior, marido da secretaria de Comunicação do Governo, Danyela Assayag, "não podia aparecer", vovó CACILDA disse que começou a fazer sentido a inclusão da loja de vinhos no negócio.

Segundo ela, não precisa nem ser nenhum "Sherlock Holmes da vida" para perceber que, "as pessoas envolvidas na maracutaia" tinham conhecimento da informação privilegiada de que o Governo do Amazonas, no início da pandemia da Covid-19, iria precisar comprar, imediatamente, respiradores hospitalares para poder equipar o "combalido e saqueado sistema estadual de saúde". 

"Então, como o médico Luiz Avelino era dono da Sonoar, mas não podia aparecer, conforme revelou a empresária Renata Mansur, que garante ter vendido em dezembro de 2019 a sua parte na empresa ao marido da Dany, eles resolveram incluir a loja de vinhos importados no negócio. Assim, a empresa do marido da Dany teve um lucro bruto de R$ 1.388.000,00 nessa negociata e a loja de vinho ganhou a bagatela de R$ 450 mil, o que não é nada mal para um negócio que demorou 24 horas para ser pago", argumenta vovó CACILDA.

A doce senhorinha destaca, ainda, que essa história merece virar um filme ou seriado de tv, para mostrar para todo mundo que para fazer "grandes negócios" em Manaus a pessoa tem que ser, mesmo, PROFISSIONAL.

De acordo com vovó CACILDA, depois de entender as razões da inclusão da loja de vinhos no negócio, após as revelações dos "segredos da empresária Renata Mansur", ainda resta saber se o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC/AM), foi traído pela sua secretária e amiga de confiança, que entregou o cargo no domingo, 05/07, ou se ele sabia de toda a negociata e agilizou ou autorizou o pagamento imediato do negócio.

"A história do pagamento ter sido autorizado e efetuado em praticamente 24 após a realização do negócio precisa ser muito bem explicada. A defesa alega falta de provas - de embasamento documental - de que o governador Wilson Lima interferiu na compra dos respiradores. Será que a culpa é do vice?", indaga vovó CACILDA.

Ela lembra, ainda, que a defesa alega, também, que "a rotina de um chefe do Executivo o impede de ter tempo hábil para se envolver diretamente em todos os processos de aquisição de produtos e serviços". 

"A defesa destaca, ainda, que a Portaria que embasa o negócio (00267/2020) foi assinada por Perseverando da Trindade, ex-secretário executivo da Susam, e ratificada por João Paulo Marques, ex-secretário da pasta. Mas, não explica quem mandou pagar, imediatamente, a fatura", observa.
 
Vovó também faz questão de ressaltar que "todo mundo sabe que só quem autoriza o pagamento de faturas de alto valor é o governador ou o seu vice".
 
"Será que foi a PERSEVERANÇA, a insistência do PERSEVERANDO que conseguiu sensibilizar os mandatários?, questiona.

Vovó CACILDA disse, ainda, que ficou intrigada com a afirmação de Carla Polake à CPI da Saúde, na manhã desta segunda-feira, 06/07, porque ela assegurou que nunca foi servidora pública no Amazonas e que dá, de GRAÇA, consultoria ao governador Wilson Lima.

"A dúvida começou a pairar após o deputado Wilker Barreto (PODEMOS) desmentí-la e exibir um cartão de visitas da bondosa senhora, indicando justamente o contrário das suas afirmações. O cartão, como ela mesmo disse, foi autorizado pelo governador Wilson Lima e além de ter o nome dela indica que ela é CONSULTORA. Com isso, a partir de agora, acho que ela merece passar a disputar o premio 'A MELHOR LOROTA DO ANO'. Resta esperar o andamento das investigações para saber quem vai ser a vencedora: Carla, Dany ou Renata", ressalta vovó CACILDA.

Ela destaca, ainda, que além de se contradizer no seu depoimento à CPI, Carla deixou claro que estava trabalhando como lobista, dentro do governo, e tal conduta, de acordo com os parlamentares, indicaria o condenável ato da prática de improbidade adminsitrativa.

"Quem atua como lobista, geralmente manipula as negociações nas instâncias dos poderes da esfera pública para benefício próprio e de seus aliados", explica vovó INOCÊNCIA.

Por sua vez vovó CACILDA lembra que o ato de improbidade administrativa "causa lesão ao erário e se caracteriza pela ação ou omissão, dolosa ou culposa, que enseje perda patrimonial, desvio, apropriação, malbaratamento ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades referidas".

"A corrupção é um exemplo de improbidade administrativa. Sabidamente, mentir é imoral e antiético. Mas, mentir é crime?", questiona.
 
 
 

 

 
 

MAIS NOTÍCIAS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Publicidade
Publicidade
Publicidade

CURTA-NOS