Quinta-feira | 02/07/2020
▸ Acompanhe nas redes

NOTÍCIAS / politica
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

28.06.2020 - 13:45  |  Monopólio do gás

Josué afirma que Carlos erra ao estimar perda de R$ 500 milhões por ano com nova lei do gás

Assessoria de Imprensa

Josué Neto

 FGV prevê mais de R$ 3 trilhões em investimentos e 36 mil novos empregos com a nova lei do gás, destaca presidente da ALE-AM 


Por Warnoldo Maia de Freitas

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM), Josué Neto (PRTB/AM), voltou a defender neste domingo, 28/06, em nota divulgada no story da sua página no faceook, a quebra do monopólio da exploração do gás nagural do Amazonas, e afirmou que o vice-governador do Estado, Carlos Almeida (PTB/AM), "erra ao informar que com a nova lei do gás, o Amazonas vai perder R$ 500 milhões por ano".
 
Clique AQUI e confira a entrevista do vice-governador 
 
De a cordo com o deputado estadual, a estimativa do vice-governador "contradiz a mais respeitada fundação brasileira na área econômica, que é a Fundação Getúlio Vargas (FGV), que, em seus estudos diz que a abertura do mercado do gás vai gerar, em dez anos, 36 mil novos empregos e investimentos na ordem de 3 trilhões de reais".

"A abertura do mercado do gás é indispensável à permanência da Perobras em Urucu, bem como à oxigenação do setor no Amazonas", destaca Josué Neto, ressaltando que "a solução é quebrar o monopólio da CIGAS e abrir o mercado"..

Segundo ele, diante dos fatos recentes, como a anunciada intenção da Petrobras vender sua participação na exploração do gás de Urucu, "a comissão criada pelo Executivo estadual mais do que obrigatoriamente tem que enviar esse PL à ALE-AM".

Confira o texto divulgado pelo deputado
 
 
 
 
 
 

 

 
 

MAIS NOTÍCIAS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Publicidade
Publicidade
Publicidade

CURTA-NOS