Manaus, 02 de Dezembro de 2021

Marcus Barros ganha Medalha Ruy Araújo, na ALEAM

Serafim ressalta que a homenagem "coroa o reconhecimento do Amazonas a um filho ilustre que nasceu lá em Eirunepé".

Política | 16/11/2021 - 17:30
Foto: Assessoria de Imprensa

Marcus Barros exibe o diploma

 Serafim ressalta que a homenagem "coroa o reconhecimento do Amazonas a um filho ilustre que nasceu lá em Eirunepé".


O médico infectologista e pesquisador Marcus Barros foi homenageado pela Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), nesta terça-feira, 16, com a Medalha Ruy Araújo. O deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) é o autor da propositura.

“Marcus é o orgulho da nossa geração. Somos da mesma idade, estudamos no mesmo grupo escolar, Barão do Rio Branco, depois ele estudou no Colégio Estadual e depois no Colégio Dom Bosco. Ele fez medicina e eu economia. Médico renomado, pesquisador laureado, professor renomado também. Chegou a ser reitor da Universidade do Amazonas. Foi diretor do INPA, diretor e presidente do Ibama. Foi secretário de governo da prefeitura de Manaus e ainda hoje continua dando a sua colaboração e contribuição à Medicina. Ele é especialista em moléstias tropicais. Esta homenagem coroa o reconhecimento do Amazonas a um filho ilustre que nasceu lá em Eirunepé e de lá veio para Manaus e aqui estudou e aqui fez tudo de bom. Homem dedicado a servir o próximo e orgulho de todos nós".

O homenageado, Marcus Barros, disse receber a Medalha Ruy Araújo, instituída em 1981, pela então deputada Socorro Dutra Lindoso, com alegria e emoção.

“Recebo a Medalha Ruy Araújo, outorgada pela ALE-AM com muita alegria e emoção. Agradeço a todos os deputados que aprovaram, por unanimidade, a iniciativa do deputado Serafim Corrêa, em me conceder tão alta honraria. A Medalha homenageia a quem se destaca pelo serviço prestado ao Amazonas nos vários segmentos. Assim, procurei contribuir nas áreas de saúde, educação e meio ambiente. Hoje, estou ciente de que valeu a pena”, disse o médico.

Marcus Barros contribuiu com pesquisa na área da saúde desde a década de 1970 no Amazonas, onde desenvolveu trabalhos de grande relevância, entre eles clínica em doenças tropicais.

“Meu trabalho na área de saúde começa no interior do Estado, no Alto Solimões, e se consolida em Manaus, na Fundação de Medicina Tropical e na Universidade do Amazonas. Para compreender a origem das doenças na Amazônia, usei como ferramentas a Geografia e História, dentre outras. Os estudos empreendidos nesse campo foram parte estruturante de minha formação médica, além da clínica em doenças tropicais. A partir daí, começo a associar, do ponto de vista ambiental, o desmatamento com o surgimento de casos de leishmaniose, de malária, das hepatites e outras doenças da nossa região, que se constituíram minha preocupação central”, disse o homenageado.

Biografia

 Marcus Barros é médico e pesquisador do Instituto de Medicina Tropical do Amazonas, em convênio com a Universidade do Amazonas, desde 1975. Professor Adjunto IV do Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade do Amazonas, desde 1975(aposentado). Fundador e primeiro Diretor do Hospital Universitário Getúlio Vargas – da Universidade do Amazonas - 1981/83. Foi reitor da Universidade do Amazonas. 1989/1993. Fundador e primeiro Gerente do Escritório Técnico Regional da Fundação Oswaldo Cruz na Amazônia, com sede em Manaus, objetivando a criação do Centro de Pesquisa Leônidas e Maria Deane. 1995/98. Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia – INPA, nomeado pelo Decreto de 25.02.2002, publicado no DOU de 26.02.2002.

 Barros foi presidente do IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), de janeiro de 2003 a maio de 2007. Foi  secretário Municipal de Governo, coordenador do Convênio Funai/Saúde/Prelazia do Alto Solimões para Nação Tikuna. São Paulo de Olivença entre 975 e 1976.  Diretor Clínico do Hospital Colônia Antônio Aleixo (Hanseníase), em 1976. Diretor Clínico do Hospital de Moléstias Tropicais, em 1977. Fundador e Chefe do Laboratório de Leishmaniose do Instituto de Medicina Tropical de Manaus - 1978 a 1987. Presidente da Associação de Docentes da Universidade do Amazonas - Manaus - 1984 a 1986. Coordenador do Curso latu sensu de Residência Médica em Medicina Tropical – Instituto de Medicina Tropical do Amazonas. 1987. Coordenador do “Projeto Leishmaniose”. (Convênio entre o Instituto de Medicina Tropical de Manaus e a Universidade de Harvard - EUA) 1987.

Pesquisador do Núcleo de Estudos em Saúde Pública - Universidade do Amazonas - Manaus – 1993. Assessor da Superintendência da Saúde do Amazonas – Manaus-1995. Vice-Presidente da Associação de Universidades Amazônicas - UNAMAZ – 199 2.Professor Visitante do Curso de Medicina Tropical y Parasitologia – Catedral Unesco – Universidade de Granada. Espanha. Desde 1995. Professor Visitante do Curso de Mestrado em Medicina Tropical da Universidade Autônoma de Barcelona. Desde 1996.

 Professor Visitante do Curso de Mestrado em Medicina Tropical da Universidade de Barcelona/Hospital Clínico/Serviço do Professor Manuel Corachán. Desde 2000. Consultoria ao Centro de Pesquisas Leônidas & Maria Deane da Fiocruz-Amazônia, no período de julho a setembro de 2001. Secretário do Conselho de Administração do Musa (Museu da Amazônia),  de 2010 a 2012.
 
 
ACOMPANHE O MANAUS OLÍMPICA NAS REDES SOCIAIS

© 2015 - 2021. Manaus Olímpica. Todos os direitos reservados