▸ Acompanhe nas redes

NOTÍCIAS / cidade
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

11.01.2021 - 10:30  |  Enfrentamento à Covid-19

Ministério da Saúde está recrutando profissionais para atuar no Amazonas, revela Pazuello

Reprodução

Pazuello apresenta plano em Manaus

Pazuello garante que o Ministério da Saúde estará em Manaus com o que o governo e as prefeituras precisarem para combater o novo coronavírus
 
 Por Warnoldo Maia de Freitas

O ministro da saúde Eduardo Pazuello afirmou na manhã desta segunda-feira, 11/01, em Manaus, durante encontro com prefeitos e o governador do Amazonas, que a sua pasta já está adotando as medidas necessárias para enfrentar a falta de profissionais na área da saúde e iniciou o processo de recrutando de 500 pessoas habilitadas para atuar no plano estratégico de enfrentamento à Covid 19 no Amazonas.

Com relação aos imunizantes, as vacinas, o ministro não apresentou fatos novos e reafirmou que o Brasil já tem contratada a compra de 354 milhões de doses para aplicar em 2021. Otimista, Pazuello disse, ainda, que os números apresentados garantem a aplicação de 100 milhões de doses até junho, mas não revelou o que todo mundo quer saber: quando vai ser iniciada a vacinação no Amazonas.

O ministro disse entender a "angústia" das pessoas, diante da pandemia, e repetiu o que já havia dito: que o Ministério da Saúde trabalha com três possibilidades, sendo o dia 20 de janeiro apontado como a provável data, na melhor hipótese. Já numa possibilidade média o início do processo de vacinação se dará até 10 de fevereiro, enquanto numa possibilidade mais alongada será de 10 de fevereiro até o começo de março.

"O Ministério da Saúde estará em Manaus com o que o governo precisar e as prefeituras para combater o novo coronavírus", assegurou, reafirmando que todos os estados vão receber a vacina de forma simultânea.

Para rebater as críticas que destacam que o Brasil está atrasado no proceso de imunizacão da sua população, Pazuello afirmou que, "somando tudo, as vacinas já aplicadas no mundo só imunizam uma cidade do porte de São Paulo".

"O nosso programa de vacinação contra o novo coronavírus vai ser o maior do mundo, porque o povo está adaptado, porque o povo quer isso", argumentou, ressaltando que o Brasil precisa de uma grande quantidade de vacinas.

Tratamento imediato

Ao falar sobre a questão do tratamento contra o novocoronavírus o ministro disse que o tratamento contra o novo coronavírus tem que ser imediato e destacou que as Unidades Básicas de Saúde (UBS) devem ficar abertas, dispor de capacidade de fazer triagem e atendimento imediato e de medicamentos para distribuir à população tão logo sejam receitados pelos médicos.

"As pessoas não devem ficar em casa aguardando atendimento e devem procurar atendimento especializado tão logo sintam os primeiros sintomas do novo coronavírus", recomendou, assegurando que o Ministério da Saúde dispõe de condições para atender as demandas de equipamentos e medicamentos, bem como tem capacidade para "trazer de fora todo o pessoal especializado que for necessário".
 
 
 

 

 
 

MAIS NOTÍCIAS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Publicidade
Publicidade
Publicidade

CURTA-NOS