Terça-feira | 07/07/2020
▸ Acompanhe nas redes

NOTÍCIAS / politica
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

01.06.2020 - 00:15  |  Tudo é vaidade

Outdoors próximos à ALE-AM deixam vovó CACILDA com pulgas atrás das orelhas

Reprodução

Outdoors na avenida Mário Ypiranga Monteiro

 Vovó CACILDA lembra que nesta vida tudo é VAIDADE, tudo é transitório 

 
Por Warnoldo Maia de Freitas 

Depois de ser perturbada no seu "retiro espiritual" de fim de semana, por um amigo futriqueiro, que lhe encaminhou algumas fotos via whats app,  vovó CACILDA está se mordendo de curiosidade. 

Apesar de não gostar, muito,  de futricas, vovó CACILDA quer saber quem são os responsáveis pelas mensagens dos outdoors que estão situados nas proximidades da Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM), em frente ao Fazendário Clube, na avenida Mário Ypiranga Monteiro 
 

"Naquelas placas - outdoors - penduradas tem muito mais do que possa parecer",  afirma a doce vovó, destacando que é preciso saber se os recados são para os membros da base do governo ou da oposição. "Ou será que fazem parte de alguma campanha publicitária e só querem chamar a atenção para um determinado produto?", questiona.

Em época de temperatura elevada na área política, com pedidos de impeachment e de uma CPI da saúde que pretende e promete tirar dos armários muitos esqueletos esquecidos desde 2011, vovó CACILDA quer saber quais são as máscaras que vão cair.

A doce vovó também quer saber quais rostos vão ser desnudados  e vão passar a exibir traços e condutas cuidadosamente  ocultadas ao longo dos anos.

Do alto da sabedoria acumulada ao longo dos seus bem vividos 90 anos de idade, vovó CACILDA entende que a mensagem "As máscaras vão cair" são para deixar em pânico, em agonia, quem não quer ver seus segredos, seus atos secretos revelados.

Já com relação ao outdoor com a mensagem "É proibido ter papas na língua,   vovó CACILDA revela preocupação com a banalização do vernáculo e espera não ver ninguém mandando seu adversário "comer tomate cru" ou "vai tomar suco de cajú".

"Os tempos estão bicudos e devido a essa tal modernidade, muita gente boa perdeu a vergonha e, para parecer moderninho, abandonou o comedimento, a discrição, principalmente na seara da política", observa.

"Discunjurando" - exorcizando, desdemoniando - todo mundo, vovó CACILDA revela-se preocupada, porque, tudo pode acontecer, pois se for falado, mesmo, tudo o que se sabe, mas ninguém tem coragem de dizer, muitos castelos e reputações vão ruir.

"É preciso semear a paz e deixar tudo para lá, porque tudo é VAIDADE. Todas as realizações humanas nesta terra têm caráter transitório, e em certos aspectos, inútil e vão. É preciso colocar um sorriso no rosto e dar amor", ensina. 
 
 

 

 

 

 

 

 
 
 

MAIS NOTÍCIAS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Publicidade
Publicidade
Publicidade

CURTA-NOS