▸ Acompanhe nas redes

NOTÍCIAS / politica
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

27.07.2020 - 20:05  |  Lei do gás

Relator da Lei do Gás propõe mobilização da bancada do Amazonas pela aprovação do texto

Reprodução

Laércio Oliveira, relator da nova Lei do Gás na Câmara


Deputado destaca ações de Josué Neto e Silas Câmara na discussão do assunto e diz que é preciso deixar o gás fluir 

Por Warnoldo Maia de Freitas

O relator da nova Lei do Gás (Projeto de Lei 6407/13), o deputado federal Laércio Oliveira (PP/SE), destacou, em mensagem aos parlamentares amazonenses, o empenho do presidente da Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM), Josué Neto (PRTB/AM), em aprovar um novo marco legal para o mercado do gás natural no Amazonas, e de Silas Câmara, em Brasília, e ressaltou a necessidade de se "deixar o gás fluir" para alavancar a promoção do desenvolvimento social e econômico em muitos estados.

Ele apontou, ainda, a necessidade da mobilização e união da bancada federal do Amazonas pela  aprovação do texto, que foi construído graças a soma de esforços de muita gente e, em particular, do deputado federal Silas Câmara (Republicanos), que presidiu os trabalhos na Comissão de Minas e Energia da Câmara Federal e relator do projeto.  

"Vamos todos trabalhar para garantir os benefícios do gás natural para o Amazonas e para o Brasil", afirmou, lembrando que o Amazonas quer fazer a escolha certa, pelo desenvolvimento do Estado, e está discutindo o assunto.

Novos investimentos
Na opinião do relator da matéria, o novo projeto vai ajudar a atrair novos investimentos, porque o país vai deixar de lado uma "política monopolista".

Segundo ele, esse novo marco legal - a nova Lei do Gás -, que deverá ser votada ainda agora em julho, na quarta-feira, 29, ou na quinta, 30, constitui-se em um "diferencial enorme de divisor de águas, porque vai permitir ou favorecer a atração de investimentos e o acesso não discriminatório às estruturas".

"Aquilo que antes se tratava apenas como uma concessão, agora, vai ser apenas uma autorização. E isso é atrativo para investimentos no setor", afirma.
 
 
 
 

MAIS NOTÍCIAS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Publicidade
Publicidade
Publicidade

CURTA-NOS