Quinta-feira | 02/07/2020
▸ Acompanhe nas redes

NOTÍCIAS / politica
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

29.06.2020 - 18:15  |  CPI da saúde

Tobias confessa existência de interferências na Susam, mas não revela nome do mandante

Assessoria de Imprensa

Rodrigo Tobias

Deputado Fausto Júnior Fausto disse que existem provas incontestáveis de irregularidades na compra dos respiradores.

O ex-secretário de Saúde do Amazonas, Rodrigo Tobias de Souza, disse hoje (29), em depoimento à CPI da Saúde da Assembleia Legislativa, que pediu demissão por causa de “interferências dentro da Susam (Secretaria de Saúde do Amazonas).”

Questionado pelos membros da CPI sobre quem fazia interferências na secretaria, Tobias preferiu ficar calado.

O ex-secretário assumiu o comando da Susam em 28 de março de 2019, após o vice-governador Carlos Almeida deixar o cargo de secretário de Saúde. Rodrigo Tobias chefiou a Susam até o dia 7 de abril de 2020, período que Manaus enfrentou o crescimento de casos de coronavírus e o caos na Saúde Pública.

Foi durante a gestão de Tobias que houve o aluguel do hospital de campanha Nilton Lins, no valor de R$ 2,6 milhões, e a autorização para compra de 28 respiradores hospitalares, ao custo de R$ 2,9 milhões.

Segundo foi constatado pela CPI, a Susam recebia vários projetos encaminhados por outros órgãos e setores do governo, sem que tivessem qualquer afinidade com a Saúde Pública. “Saí da Susam porque havia ingerência sobre meu trabalho”, afirmou Tobias.

Uma dessas interferências foi a criação do projeto Anjos da Saúde, que o ex-secretário não havia autorizado a sair do papel. O projeto, segundo foi revelado pela CPI, foi apresentado por Carla Pollake, que realiza “consultoria” ao governador Wilson Lima.

A insistência de Tobias em não aprovar o Anjos da Saúde gerou desgaste na relação com Carla Pollake, o que pode ter acelerado a demissão do ex-secretário, avaliaram os membros da CPI.

Com a demissão de Tobias, o projeto Anjos da Saúde foi aprovado facilmente, sendo um dos primeiros a receber sanção da nova secretária da Susam, Simone Papaiz.

Embora tivesse que explicar à Simone Papaiz quais ações eram realizadas pelo governo do Estado no combate ao coronvírus, Tobias disse que conversou com a nova secretária por apenas dez minutos. 

“Tivemos uma reunião rápida, de apenas dez minutos. Depois, fui embora da Susam”, disse o ex-secretário.

Questionado sobre o aluguel do hospital de campanha Nilton Lins e as supostas irregularidades na compra dos respiradores hospitalares, Rodrigo Tobias deu respostas evasivas que não convenceram os membros da CPI.

O relator da comissão, deputado Fausto Jr, disse que existem “provas incontestáveis” de irregularidades na aquisição dos respiradores. “Temos documentos que provam irregularidades na compra dos equipamentos. Não há como fugir dos fatos”, afirmou Fausto.

Os depoimentos à CPI retomam amanhã (30), às 15h, com a participação do ex-secretário executivo adjunto da Susam, Perseverando da Trindade Filho.
 
 

 

 
 

MAIS NOTÍCIAS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
Publicidade
Publicidade
Publicidade

CURTA-NOS